#DICA05 DE ASSEPSIA DOS TANQUES

🧐Quando falamos de assepsia dos tanques, precisamos garantir que a solução seja distribuída uniformemente pelas paredes. A pressão no spray ball deve ser intensidade suficiente para atingir as paredes e para que essa solução atinja todos os pontos.

💲O custo da assepsia pode ser reduzido dependendo da escolha do spray ball. Devido a maximização da eficiência, pode-se reduzir não só o tempo de assepsia, como também a quantidade de produto e de água de enxágue.

🔍Outro ponto importante é a inspeção desse dispositivo. O sprayball deve ter uma fixação que permita a retirada para limpeza e desobstrução, caso necessário. Esse processo de limpeza deve estar no seu plano de manutenção periódica.

⚠Locais de difícil acesso, a segurança do colaborador, a adequação do sprayball a seu tanque, todos esses pontos precisam ser avaliados antes da compra do equipamento para que você tenha um ambiente seguro e uma maior eficiência no seu processo de assepsia.

Chiara Rêgo Barros é Engenheira Química especialista em Gestão da Qualidade e Produtividade e em Biotecnologia e Bioprocessos, Cervejeira Profissional e Bier Sommelière. Com mais de 15 anos de experiência na área de Produção e Tecnologia Cervejeira, atua como Consultora Técnica para Microcervejarias e Professora no Instituto Ceres de Educação e Consultoria Cervejeira, além de ministrar aulas na Bräu Akademie.

#DICA03 ASSEPSIA DE TANQUE

#DICA03 sobre assepsia de tanques!

Dentre outros pontos importantes para assepsia dos tanques, existem 4 parâmetros essenciais que precisam ser controlados. Podemos usar o ciclo de Sinner como referência:

🧪 Temperatura, tempo, ação química e ação mecânica. Esses parâmetros são complementares e compensatórios.

🧐 O ideal para um processo de assepsia eficaz seria com a utilização dos produtos químicos adequados ao tipo de superfície e tipo de sujidade e na concentração adequada, na temperatura adequada, durante o tempo suficiente para ação e com ação mecânica. Na redução de um desses, pode existir a ação compensatória por outro item de acordo com o ciclo de Sinner. Por exemplo, se não existir a possibilidade de disponibilizar um produto químico que deveria ser utilizado à quente, o tempo de contato desse produto pode ser aumentado a fim de compensar a condição ideal da temperatura do produto.

💡 Ponto importante em relação a concentração é que ela deve ser medida não só antes do início do processo, mas também no retorno. Pode haver diluição do produto por presença da água do enxágue na tubulação, diminuindo a eficiência do mesmo. Caso isso aconteça, deve ser realizada a dosagem do produto para correção da concentração. A solução deve ser recirculada no circuido e realizada uma nova análise de concentração.

🦠 Entender a natureza da sujidade é extremamente importante para definição da escolha dos químicos, consequentemente, da temperatura e tempo de ação.

⚠ Atenção nos dimensionamentos de bomba e sprayball adequados ao tanque e sem obstruções. Sempre ter atenção ao circuito, se existem muita perda de carga e pontos mortos. No caso dos tanques é importante observar não só a pressão do avanço da bomba, mas também a pressão que a solução chega no topo para entender se é suficiente para realizar uma boa assepsia.

🔍A inspeção do tanque é primordial. Ideal também fazer coleta de amostra para realização de análise microbiológica para checar efetividade da assepsia, bem como fazer a rastreabilidade de uma possível contaminação.

Já fez o check desses itens no seu processo? Conta pra gente!

#institutoceres #ceres #bpf #assepsia #haccp #appcc #foodsafety #engenhariadealimentos #segurançadealimentos #apecerva #cervejaartesanal #cerveja #abracerva

Chiara Rêgo Barros é Engenheira Química especialista em Gestão da Qualidade e Produtividade e em Biotecnologia e Bioprocessos, Cervejeira Profissional e Bier Sommelière. Com mais de 15 anos de experiência na área de Produção e Tecnologia Cervejeira, atua como Consultora Técnica para Microcervejarias e Professora no Instituto Ceres de Educação e Consultoria Cervejeira, além de ministrar aulas na Bräu Akademie.

#DICA01 Assepsia de tanque: Segurança dos colaboradores

.🥽Não dá para falar de qualquer assunto sem antes falar sobre a segurança das pessoas. Durante o processo de limpeza e sanitização dos tanques, existem muitos riscos e todos eles devem ser avaliados.

☠️Os riscos de todas atividades da fábrica devem ser mapeados e de conhecimento de todos.

🤓Os funcionários devem estar treinado e aptos para a realização de atividades.

⚠️Alguns pontos de atenção:

🗝️ Locais de difícil acesso – aquela válvula no topo do tanque, o sprayball que precisa ser desmontado. Todas essas observações precisam ser feitas desde o projeto, antes da compra do equipamento. Caso seja necessário o acesso, devem ser avaliadas condições seguras para que a atividade seja realizada.

🧤 Utilização de EPI´s adequados a atividades.

📋 Ter disponível, estar treinadx e seguir o procedimento operacional padrão ou a instrução de trabalho.

🧪 Utilizar produtos adequados para o processo de assepsia, bem como ter conhecimento sobre a manipulação e compatibilidade dos produtos químicos.

🔧 Utilizar ferramentas adequadas. Não improvisar ferramentas!!!

🚫 Atenção nos bloqueios de energia e sinalização. Válvulas de água quente, de produto químico. Imagina se alguém que não está na operação abre uma válvula dessas durante um processo de inspeção do tanque? Um acidente que poderia ser facilmente evitado. – Atenção ao acessar espaços confinados!!!!!! Esse tipo de procedimento só deve ser realizado por pessoas treinadas e cumprindo todos os requisitos da NR 33.

Em breve as outras dicas para a assepsia dos tanques. Fiquem ligados!

Chiara Rêgo Barros é Engenheira Química especialista em Gestão da Qualidade e Produtividade e em Biotecnologia e Bioprocessos, Cervejeira Profissional e Bier Sommelière. Com mais de 15 anos de experiência na área de Produção e Tecnologia Cervejeira, atua como Consultora Técnica para Microcervejarias e Professora no Instituto Ceres de Educação e Consultoria Cervejeira, além de ministrar aulas na Bräu Akademie.